domingo, 4 de outubro de 2009

AGONIA

Flores foram inventadas
e concluídas sem espinhos:
há um corpo inteiro sem núcleo.

Têm-se números em supostas louças,
cinzas consagradas, de espaços inexistentes:
as canções são de noites antigas,
gritos ensandecidos,
artifícios de túmulos consentidos.

Pés arrastam-se lentamente
e os olhos são negados.
Há vozes inclementes
e a surdez das almas:
brasas frias, muito frias.

Um comentário:

Nydia Bonetti disse...

Roberto

Gostei muito das imagens "das canções de noites antigas" e da "surdez das almas". Dizem muito das agonias...

beijo, boa semana.