quinta-feira, 26 de março de 2009

INDO À ESCOLA

Zuna, bicicletinha, zuna,
corra ladeira abaixo!...

Em meu rosto desenfreado,
os sentidos das desordens do ar,
dos desafios ao vento,
dos descaminhos do caos.

Lá embaixo, a rua estreita e a praça,
o colono da estátua e o cinema dos sonhos,
depois, a rua das mulheres vadias,
só mais adiante, o colégio dos frades.

Desça a ladeira, bicicletinha,
desça rápido, muito rápido!
Ao lado da ladeira, a flor que não beijarei
é minha lágrima-virtude.

2 comentários:

Doroni disse...

Roberto,

Que saudade da minha infância.
achei interessante...
colegio de frades/
flor que não beijarei/
lágrima-virtude.

E seria uma virtude imposta?
bjs

Anônimo disse...

Doroni:
Será que necessariamente uma virtude imposta?
Ela está ao lado da ladeira que a bicicleta desce, fora de direção tomada, o "lá embaixo" e que lá se encontra. Não há um contraponto nisso?