domingo, 29 de novembro de 2009

DOMÍNIOS

Os que imploram sempre golpeiam,
há a tradição e os ímpetos do medo,
palavras que se desarticulam,
estranhas sintaxes.

Os piedosos são os que impõem,
trazem deuses e frutos permitidos,
as imagens das sombras,
os sentidos da hipocrisia.

Nos cálculos da cegueira,
a mudez e a recusa,
os olhos apagados,
o frio dos ventos vazios.

A dor não mais é o que faz gritar,
mas o que silencia a voz contrária,
a desesperança dos supliciados,
as razões de uma alma adversária.

Um comentário:

Nydia Bonetti disse...

Tanta coisa nos domina e nos faz silenciar. A quem interessa nossos silêncios? Quem conhece a verdade?
Perguntas que não calam...

Bjs.