quinta-feira, 11 de junho de 2009

NOITE

A lua já flutua em um mar poente,
uma lua pesada, imensa... No chão,
anjos feridos, sujos de sangue.

Em um ar bem vestido, brilhos encobertos,
o tempo definido em bolas vermelhas,
o isolamento, a inépcia, o mormaço...

Nas ruas, nas luzes das sombras,
as mulheres oferecidas
e os homens obscurecidos.

Sempre há uma voz que nunca existe,
uma varanda alta e uma janela fechada,
as tempestades de um tempo calmo.

10 comentários:

Pat Rocha disse...

Venho sempre aqui te ler...
beijo
Pat

GRAÇA GRAÚNA disse...

Você é muito talentoso. Sua poesia é maravilhosa. É fácil se apaixonar por sua poesia. Bjos.

Mikaele Tavares disse...

Obrigada pela visita no meu blog...
Seu blog está lindo
Tem selo para você..
Apareça sempre.

Nydia Bonetti disse...

Roberto
Que bom saber que minha poesia te apascenta. E a tua poesia me comove...
beijo

Doroni Hilgenberg disse...

Roberto,
Vai e volta e seus poemas me intrigam, me comovem e me fazem pensar..

"`A noite, nossas lembranças
incertezas e agonias sempre voltam"

A lua pesada de vergonha...
tantos vestigios e seguimos inertes, calados coniventes...
e se há tempestade, fechamos nossa janela, para que se molhar?

bjs

adelaide amorim disse...

Bonito poema, Roberto. Assim como todos os que você mostra aqui.
Beijo.

Nydia Bonetti disse...

oi, roberto.
vim agradecer tua visita e comentário ao meu caminito e te deixar um abraço. tem toda razão, existem outras interpretações bem melhores do que a que escolhi. julio iglesias é mesmo meloso:)), mas combinou com o tom do meu poema. :))
bom final de semana!!!

costacarvalho disse...

Oi, Nydia! Só agora, ao retornar a seu blog, é que me atentei para link "Caminito Cesarica 11", com a letra incompleta cantada por Julio Iglesias (que ouvi poucas vezes). Não o tinha percebido.

Na verdade, desconsiderei a possibilidade de interpretações melhores do que outras. Seria complicado, se agisse ao contrário.

Em minha leitura, o que tive em conta foi apenas "caminito" e a maneira tão sua de referir-se a ele, o que muito mereceu meu aplauso e continua merecendo.

costacarvalho disse...

PAT, que bom vê-la por aqui!

GRAÇA, nem sei o que dizer diante de palavras tão gentis.

MIKAELE, Garota Pensante, também obrigado por sua visita!

NYDIA, sem dúvida, sua poesia sempre é doce de ler. Aos mundos conturbados, revelam, como talvez diria Alda Lara, "a calma das horas".

DORONI, talvez porque, no vai e volta, sempre há os significados do silêncio ou, pelo menos, de um profundo sono.

Gostaria de que minhas respostas fossem individualizadas. Todavia, reveses atropelaram-me os rumos, a vida. Espero que me perdoem a falha.

costacarvalho disse...

ADELAIDE, que dizer a quem tem tão boa literatura como você?